Uma lesão medular é um dano à medula espinhal. A medula espinhal é um feixe de nervos e outros tecidos que as vértebras da coluna vertebral contêm e protege. Ela é responsável por enviar mensagens do cérebro para todas as partes do corpo e vice e versa.

O dano à medula espinhal é um tipo de trauma extremamente sério que provavelmente terá um impacto significativo e duradouro na maioria dos aspectos da vida diária. Por isso necessita tratamento funcional, incluindo fisioterapia, terapia ocupacional e fonoaudiologia. Um dos recursos de tratamento muito estudados tem sido a estimulação magnética transcraniana repetitiva (EMTr).

EMTr é um procedimento não invasivo que usa campos magnéticos alterar propriedades químicas das células nervosas. Uma bobina eletromagnética é posicionada contra o local de aplicação. O eletroímã fornece indolor um pulso magnético.

A EMTr já foi usada clinicamente para tratar doenças neuropsiquiátricas e é considerada um tratamento futuro promissor para acidente vascular cerebral, Parkinson e doença de Alzheimer. Foi hipotetizado que os campos magnéticos gerados pela estimulação exercem efeitos neuroprotetores e de remodelação nos tecidos.

 

Fonte: clínica ProSense

 

Na lesão medular, um estudo de 2020 feito em roedores utilizando a estimulação magnética transespinhal demonstrou que esse recurso:

– Modula a formação de cicatriz espinhal após lesão medular

– Melhora a recuperação funcional

– Regula a síntese de proteínas funcionais e suas vias

– Inibe a desmielinização e aumenta a sobrevivência neuronal e o recrescimento axonal

– Aumenta a proliferação e modula a diferenciação de células-tronco da medula espinhal

– Melhora a recuperação funcional em uma condição crônica

 

Fonte: clínica ProSense

 

EMTr é uma forma segura e não invasiva de estimulação da medula espinhal que aplica o campo magnético focal para gerar correntes elétricas. A EMTr pode modular a atividade da medula espinhal dependendo da frequência e da posição da bobina.

 

É um recurso com efeitos comprovados!!

 

Obs1.: EMTr é considerada segura e bem tolerada pelos pacientes.

Obs2.: os efeitos colaterais são geralmente leves a moderados e melhoram logo após uma sessão individual e diminuem com o tempo com sessões adicionais. Eles podem incluir: desconforto no local da estimulação, formigamento, espasmos ou contração musculares.

Obs3.: a EMTr não é invasiva, não requer anestesia e pode ser realizada em ambulatório.

 

 

Chalfouh C, Guillou C, Hardouin J, et al. The Regenerative Effect of Trans-spinal Magnetic Stimulation After Spinal Cord Injury: Mechanisms and Pathways Underlying the Effect. Neurotherapeutics. 2020;17(4):2069-2088. doi:10.1007/s13311-020-00915-5