Posts

A Paralisia Cerebral – (PC) se refere a lesões não progressivas no cérebro, que causam limitações de atividade nas crianças acometidas. Pode ocorrer antes, durante ou após o parto e é considerada a deficiência física mais comum na primeira infância, variando, entre diferentes países, de 1,4 a 3,6 casos a cada 1.000 nascidos vivos.

Cada criança apresenta diferentes necessidades de reabilitação, de acordo com sua demanda. Dentre os possíveis acometimentos, estão as alterações de postura, de tônus, de equilíbrio, de sensibilidade, de percepção, de comunicação, de comportamento e de marcha.

A reabilitação de crianças com Paralisia Cerebral consiste em constantes estimulações de forma lúdica e funcional, buscando alcançar os marcos do desenvolvimento.

INICIE AGORA SEU TRATAMENTO – CLIQUE AQUI!

Pensando nisso, a ProSense utiliza de diversos recursos que visam um melhor alinhamento corporal, o fortalecimento muscular e um incremento no equilíbrio e na coordenação para uma melhora funcional, de acordo com seus objetivos. Sem contar que, a equipe de profissionais da clínica é especializada para cada caso e tratamento, dentro do universo neurofuncional (Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional).

E como é feito o tratamento neurofuncional? Vamos te mostrar abaixo:

Fisioterapia

A fisioterapia é feita com exercícios indicados pelo fisioterapeuta especializado e tem como objetivo fortalecer os músculos, melhorar a força, a flexibilidade, o equilíbrio e a coordenação motora. Também, em alguns casos, pode ser indicado fazer fisioterapia para ajudar na fala, deglutição e melhorar a respiração.

Muitas intervenções terapêuticas para crianças com PC são evidenciadas na literatura científica e têm eficácia comprovada. Treinamentos motores específicos a tarefas, terapia de contenção induzida, therasuit, plataforma vibratória, estimulação transcraniana, estimulação elétrica funcional, fortalecimento e atividade física, equoterapia e atividades funcionais com suporte parcial de peso são recomendados como principais recursos no programa de atendimento à PC, pois induzem a neuroplasticidade e produzem ganhos funcionais, com comprovação na literatura.

Fonoaudiologia

A fonoaudiologia é indicada para ajudar na melhora da capacidade da fala ou da comunicação através da linguagem dos sinais, além das dificuldades para comer ou engolir. Lembrando que, é necessária uma avaliação do profissional para detectar o problema e o tratamento adequado.

Terapia ocupacional

A terapia ocupacional ajuda a aumentar a qualidade de vida e proporciona à criança a ganhar independência nas atividades do dia a dia, seja em casa ou na escola, comer ou andar etc..

Pode-se observar que, nas sessões de terapia ocupacional, o profissional especializado auxiliará a criança a utilizar alguns equipamentos, como: talheres especiais, andador ou cadeira de rodas, por exemplo.

DOI: 10.1111/cch.12026
DOI: 10.1177/0883073803018001S0201
PMCID: PMC1002833

MARQUE UMA AVALIAÇÃO E CONHEÇA MAIS NOSSOS SERVIÇOS

A reabilitação no tônus ​​muscular e na mobilidade de indivíduos com paralisia cerebral são possíveis porque o cérebro é capaz de utilizar a neuroplasticidade. Neuroplasticidade se refere à capacidade do sistema nervoso central de fazer mudanças adaptativas e reorganizar seu circuito neural.

Como resultado, as funções afetadas por danos cerebrais, como o tônus ​​muscular, muitas vezes têm o potencial de ser religadas a regiões não afetadas do cérebro e melhoradas.

Leia mais

O tônus ​​muscular baixo ou flácido (hipotonia) é um efeito secundário de um dos tipos de paralisia cerebral que pode tornar um desafio para os indivíduos a execução de uma variedade de movimentos e funções cotidianas. Embora seja muito mais comum que os indivíduos com paralisia cerebral experimentem um tônus ​​muscular alto do que um tônus ​​muscular baixo, também é possível que os indivíduos experimentem uma mistura de ambos. Leia mais

A paralisia cerebral é um termo genérico para descrever os danos neurológicos que acontecem antes do nascimento ou nos primeiros anos de vida. Há uma enorme variedade de maneiras pelas quais as pessoas são afetadas. A gama de dificuldades com que vivem as pessoas com paralisia cerebral depende de muitos fatores diferentes e inter-relacionados. A localização e a extensão de qualquer dano são extremamente influentes.

As experiências de movimento na infância e na adolescência moldarão a forma como as pessoas se movem e se equilibram. Isso é verdade para todos, não apenas para as pessoas com paralisia cerebral. O controle do movimento pode ser um desafio para pessoas com paralisia cerebral e muitas vezes há dificuldade em gerar a força adequada em certos músculos. Por exemplo, pessoas com diplegia, que afeta principalmente as pernas, geralmente apresentam rigidez e fraqueza, de modo que uma dependência excessiva dos braços para suporte e mobilidade se desenvolve para compensar.

A fraqueza nas pernas também pode estar associada ao uso exagerado dos músculos da parte inferior das costas para produzir estabilidade no corpo. Com o tempo, isso pode levar a dores nas costas! Frequentemente, vemos pessoas com desconforto ou dor nas costas devido a problemas de controle das pernas.

Compreender os problemas específicos de cada indivíduo é um ponto importante para começar. A melhor maneira de lidar com o problema é abordando a causa e tornando o corpo o mais estável e forte possível. A paralisia cerebral é frequentemente uma condição complexa. Trabalhar com profissionais que tenham conhecimento e experiência apropriados para identificar causa e efeito é vital para alcançar e enfrentar os desafios da doença de forma eficaz.

Paralisia cerebral e fisioterapia neurofuncional especializada

Tratamos vários pacientes com paralisia cerebral. Oferecemos suporte, aconselhamento e criamos programas de tratamento de fisioterapia neurofuncional sob medida para minimizar os padrões anormais de movimento para realinhar e ativar os músculos apropriados.

Entre em contato por aqui para agendar uma avaliação e descubra como podemos ajudar você, um familiar ou amigo.