O que é fisioterapia neurofuncional intensiva?

Fisioterapia neurofuncional é a área da fisioterapia responsável por reabilitar pacientes que passaram por alguma lesão neurológica, tem como objetivo re-estabelecer a funcionalidade e independências do paciente através do treino de atividades de vida diária focando no ganho de coordenação, equilíbrio, sensibilidade, força muscular, controle do movimento, destreza, etc. No programa de fisioterapia intensiva você ficará imerso em um processo intenso de treinamento, onde são realizadas diversas atividades importantes para você, da maneira mais correta e funcional possível, de forma repetitiva e com o auxílio de um terapeuta treinado especificamente para isso.

Como funciona o programa de fisioterapia intensiva?

O programa intensivo consiste em atendimentos com 3h de duração, de segunda a sexta, durante quatro semanas. Após esse período, sugere-se que o paciente siga com o acompanhamento fisioterapêutico tradicional para manutenção dos ganhos. Caso seja necessário e de interesse do paciente ou da família, após três meses de finalização de um primeiro programa intensivo, pode-se realizar um segundo programa intensivo. Não há limites para a quantidade de intensivos um paciente pode realizar. Desde que respeitado o intervalo de três meses, o paciente pode realizar quantos programas intensivos tiver vontade e/ou quando o terapeuta julgar necessário.

O que acontece no programa intensivo?

O primeiro dia de atendimento é reservado para a realização de uma avaliação neurofuncional específica e bastante detalhada, uma vez que é partindo dessa avaliação que serão traçados os objetivos terapêuticos e as estratégias de atuação nos dias e semanas seguintes. Após essa etapa estabelece-se, em conjunto com o paciente e/ou a família, os objetivos terapêuticos para cada semana. Além do trabalho realizado na clínica, os objetivos terapêuticos estabelecidos também podem incluir mudanças na rotina, na alimentação, na maneira de dormir do paciente, exercícios a serem realizados em casa, adaptações do ambiente doméstico, dentre outros. No último dia do programa são apresentados um resumo do que foi feito durante as quatro semanas, os resultados da evolução do paciente e o que ainda precisa ser melhorado após a finalização do programa. O paciente e a família recebem um relatório com tudo o que foi apresentado, a fim de manterem todo o processo documentado para utilizações futuras.

Quais os riscos de um programa de fisioterapia intensiva?

Os riscos de um programa de fisioterapia intensiva são os mesmos de um programa de fisioterapia tradicional, ou seja, muito baixos. Isso porque os parâmetros foram estabelecidos baseados em estudos científicos que observaram que os maiores ganhos funcionais em pacientes neurológicos foram obtidos seguindo-se protocolos que realizavam treinamentos específicos durante 3h, por cinco dias na semana, em quatro semanas seguidas (NEVES et al., 2014). Além disso, as atividades propostas se baseiam no que o paciente é capaz ou não de fazer, sendo ele o responsável por ditar o ritmo de realização das tarefas, uma vez que sempre são respeitados os limites e a tolerância do paciente em cada atividade.

Quais os benefícios de um programa de fisioterapia intensiva?

Estudos apontam para alguns benefícios da fisioterapia intensiva, destacando-se a melhora na funcionalidade e na independência de forma mais rápida, aumento da força muscular, diminuição da rigidez, menor gasto energético, etc (Frange, Silva e Filgueiras, 2012). Além disso, por se tratar de um programa intenso de fisioterapia, muitas vezes o paciente se sente desafiado a superar seus próprios limites, o que favorece também o ganho de auto-estima e confiança.

Chegou sua hora! O programa de Fisioterapia Intensiva da Clínica Prosense tem gerado resultados encorajadores para aqueles que se dispõem a pagar o preço, suar a camisa e ir atrás do progresso!

Entre em contato conosco para saber mais sobre isso! Clique aqui para conversar com a gente pelo whatsapp ou clique aqui para nos ligar! A ProSense está te esperando!

Fisioterapeuta responsável:
Michelle Coutinho, CREFITO 118113
Redator:
Victor Ulysses de S. Matos, estudante de fisioterapia.

 

REFERÊNCIA:

NEVES, E. B. et al. Terapia neuromotora intensiva na reabilitação da atrofia muscular espinhal: estudo de caso. Revista Neurociências, v. 22, n. 1, p. 66-74, 2014.

Frange, CMP; Silva, TOT;  Filgueiras, S. Revisão sistemática do programa intensivo de fisioterapia utilizando a vestimenta com cordas elásticas. Rev Neurocienc 2012;20(4):517-526.