Marcos motores do desenvolvimento

Você tem dificuldade em saber quais são os marcos motores de crianças com desenvolvimento normal? É importante que você consiga identificar alguns desses pontos para que entenda como está sendo o desenvolvimento da sua criança e que assim você possa cuidar dos pontos principais de atenção do seu filho. O que acha de anotar em um caderninho ou no bloco de notas do celular qual mês cada ponto a seguir aconteceu? Mas lembre-se, pequenas variações podem acontecer.

Para você que acabou de chegar no site por este artigo, quero que você saiba que a Clínica Prosense, é uma referência nacional em reabilitação de lesões e problemas neurológicos. A equipe multidisciplinar, altamente especializada, e com recursos tecnológicos e instrumental propício para aceleração da sua independência e reabilitação.  Seja bem vindo e boa leitura!

 

TODOS OS PONTOS ABAIXO SÃO FEITOS PELA PRÓPRIA CRIANÇA

– Em prono (barriga para baixo):

Neonato/recém-nascido: vira sozinho a cabeça levemente para o lado para liberar via aérea, fica com o rosto apoiado na superfície (cama, chão, etc.), fica com a pelve (“quadril”) elevada e realiza pontapés (chutes) alternados.

1º mês: extremidades (mãos e pés) se encontram mais afastadas e chute menos vigoroso.

2º mês: fica com a orelha apoiada na superfície (cama, chão, etc.), levanta a cabeça 45º, descarrega o peso sob o abdome e lado radial (lado referente ao polegar) da mão.

3º mês: desloca peso ao rodar a cabeça, pode rodar para deitado de lado, membros inferiores em frog legged (“pernas de sapo”) e realiza pontapés (chutes) contra a gravidade.

4º mês: levanta a cabeça em 90º, realiza flexão cervical (“olhar para baixo”) e movimentos natatórios (como se estivesse nadando).

5º mês: início das reações de equilíbrio, feed foward (antecipação do movimento) e rola de prono (barriga para baixo) para supino (barriga para cima) de forma acidental, ou seja, sem querer.

6º mês: desenvolve controle extensor, movimentos da cabeça dissociados (sem que o movimento gere reação no resto do corpo), membro superior livre para alcance e realiza movimento de pivot apoiado sobre o abdome, ou seja, roda o corpo apoiado sobre a barriga.

7º mês: rola para deitado de lado ao pegar objeto, se arrasta para trás e se puxa para gato.

8º mês: fica em prono (barriga para baixo), deitado de lado, sentado e gato (transfere peso de anterior para posterior e vice e versa, de lateral para lateral e por último na diagonal).

9º mês: engatinha com contra rotação da coluna e segura objeto com preensão radial (segura o objeto com o lado referente ao polegar) enquanto apoia do lado ulnar/medial (lado referente ao dedo mínimo).

10º mês: engatinha em urso (apoiando só mãos e pés, sem apoiar os joelhos) e manobra o corpo durante o movimento.

11º mês: utiliza diferentes formas de engatinhar.

12º mês: engatinha mais do que anda.

– Em supino (barriga para cima):

Neonato/recém-nascido: cabeça rodada, falta dissociação (movimentos isolados, o movimento sempre gera a reação em outra parte do corpo), apoia do lado ulnar (referente ao dedo mínimo) da mão e realiza pontapés (chutes) vigorosos.

1º mês: membros superiores mais afastados e pontapés (chutes) simétricos.

2º mês: acompanha objetos em um uma amplitude de 180º, mãos mais abertas e antebraços menos pronados (virados para baixo) e realiza tenodese para soltar objetos (não solta os objetos voluntariamente).

3º mês: maior simetria. Chin tucking (coloca o queixo no peito), explora a si mesmo, segura objetos voluntariamente, mas solta por tenodese e membros inferiores em frog legged (“pernas de sapo”). 

4º mês: rola para deitado de lado acidental, desenvolve controle antigravitário de flexores, dissocia membros inferiores (mexe uma perna sem necessariamente fazer o mesmo com a outra) e realiza ponte de quadril.

5º mês: realiza movimentos assimétricos, levanta a pelve, pés lateralizam (ponta dos pés para o lado), desenvolve coordenação olho-mão (olha para onde a mão vai), feed foward (antecipação dos movimentos), coloca o pé na boca, rola para deitado de lado e realiza ponte ritmada.

6º mês: começa a apresentar reações de equilíbrio e rola de supino (deitado de barriga para cima) para prono (deitado de barriga para baixo).

7º mês: desenvolve controle flexor.

8º ao 12º mês: não gosta da posição em supino (deitado de barriga para cima).

– Sentado e de pé:

Neonato/recém-nascido: sustenta quando você puxa a criança para sentada pelas mãos pelo reflexo de preensão (ela segura forte seus dedos por reflexo), apresenta coluna em “C”, reação positiva de suporte (estica as pernas ao ser colocada de pé) e marcha automática.

1º mês: possui atraso da cabeça no puxado para sentado e não contrai pescoço, estica os membros superiores, apresenta membros inferiores em varo (“perninhas de garrincha”) e marcha automática reduzida.

2º mês: membros superiores começam a agir no puxado para sentado (ou seja, quando você puxa a criança para sentada ela te ajuda) e apresenta astasia-abasia (não sustenta o peso quando colocado de pé).

3º mês: acompanha com a cabeça no final do puxado para sentado, mantém a cabeça quando sentado, fica com membros inferiores em anel para maior estabilidade, pés pronados e realiza preensão plantar.

4º mês: leva a cabeça até a metade do puxado para sentar, desenvolve o feed foward (antecipação dos movimentos), descarga de peso lado facial (para onde está olhando; se olha para o lado direito o pé direito recebe o peso do corpo) e se encontra na fase saltadora por desenvolver a estabilidade da pelve (fica pulando quando sustentada de pé).

5º mês: acompanha o puxado para sentar, roda a cabeça sem perder equilíbrio e apoia as mãos a frente quando sentado.

6º mês: senta sem suporte, consegue ficar com membros superiores livres, desenvolve a reação de proteção à frente e fica de pé estático.

7º mês: apresenta maior controle do quadril durante o movimento, o corpo segue o movimento da cabeça, exceto tronco inferior para baixo e realiza passos curtos sem avançar.

8º mês: quando sentado alcança realizando a rotação de tronco, senta de diferentes formas, a crainça se puxa com as mãos e braços (membros superiores) para ficar de pé, apoio de apenas um membro superior quando de pé e realiza marcha anterior (caminha para frente) quando sustentado.

9º mês: fica ajoelhado e semi ajoelhado, ainda usa membros superiores para se puxar para de pé, fica de cócoras e realiza marcha lateral.

10º mês: passa para de pé utilizando membros inferiores, realiza mais movimentos de tornozelo e marcha lateral com apoio somente de uma mão.

11º mês: roda o corpo quando senta com as pernas esticadas, ajoelha sem suporte, escala, desce da mobília, passa para de pé sem apoio e roda cabeça independente do tronco.

12º mês: fica de cócoras com tornozelo à 90º, não compensa com membros superiores para ficar de pé, mas mantém as compensações na marcha, anda sozinho sem choque de calcanhar e com dorsoflexão todo o tempo.

Entender todos esses marcos vai te ajudar a notar e a desenvolver o seu filho. Sugiro que você pegue esta lista e faça um comparativo com seu filho e se perceber alterações, busque reforçar o desenvolvimento deste marco, se não conseguir sozinha, estamos aqui para te ajudar, avaliar e traçar um plano para você e em casos mais sérios, entramos com a reabilitação neuromotora.

Procure um profissional qualificado. Caso queira, estamos à disposição para te ajudar, basta agendar seu horário.

Clique aqui para conversar com a gente pelo whatsapp ou clique aqui para nos ligar! A ProSense está te esperando!