Pacientes com doença de Parkinson podem apresentar, além de disfunções motoras, alterações na voz ou na fala, alterações na deglutição e comprometimento cognitivo. Oferecemos fonoaudiologia, terapia ocupacional e fisioterapia para pacientes com doença de Parkinson. 

O que esperar da fisioterapia para pessoas com doença de Parkinson

Oferecemos fisioterapia para pacientes com doença de Parkinson para ajudar:

  • Aumentar a força, resistência, movimento e controle
  • Melhorar a flexibilidade, marcha e equilíbrio
  • Abordar a prevenção de congelamento e queda
  • Desenvolver um regime de exercícios diários para manter a mobilidade e o nível de atividade física
  • Educar e envolver o cuidador para ajudar em casa com atividades funcionais, como transferências de banheira, levantar/sentar na cadeira ou cama
  • Educar o paciente e o cuidador e implementar os exercícios 

 

O que esperar da terapia ocupacional para pessoas com doença de Parkinson

Oferecemos terapia ocupacional para pacientes com doença de Parkinson para ajudar:

  • Obter maior autonomia e independência no dia a dia
  • Melhorar a participação nas atividades da vida cotidiana
  • Modificação de uma ocupação (tarefa) ou do ambiente para melhor apoiar o envolvimento ocupacional

 

O que esperar da patologia da fala e linguagem para pessoas com doença de Parkinson

Mudanças na voz ou na fala: uma deficiência na fala é chamada de disartria. Essas mudanças podem incluir ter um tom único, volume diminuído, taxa variável de fala e precisão articulatória diminuída. Além disso, a qualidade vocal pode ser soprosa e/ou rouca.

O tratamento visa melhorar o volume e a clareza da fala por meio da participação em exercícios repetitivos.

Alterações na deglutição: Uma deficiência na deglutição é chamada de disfagia. Os sintomas podem incluir baba, voz úmida ou gorgolejante, tosse/pigarro/engasgo ao comer ou beber, sensação de comida presa na garganta e ter um tipo de pneumonia atribuível a déficits de deglutição, chamada pneumonia por aspiração.

O tratamento visa melhorar a força e a velocidade de movimento da musculatura da deglutição. A dieta do paciente também pode precisar ser modificada para melhorar a segurança. O paciente também será treinado em estratégias de deglutição para otimizar a segurança.

 

 

Comprometimento cognitivo: O comprometimento cognitivo é uma queixa não motora comum de pessoas com doença de Parkinson. Mudanças podem ser vistas na atenção, organização, memória, habilidades visuais espaciais e linguagem da pessoa.

A terapia se concentra em fornecer à pessoa estratégias compensatórias para administrar esses déficits, treinamento familiar para otimizar a independência, bem como exercícios de complexidade crescente para remediar os déficits, se possível.

 

Lembrando que todo o tratamento é feito com foco na queixa principal do paciente e depende de uma avaliação minuciosa prévia.

 

Portanto, agende a sua avaliação e/ou de seu familiar conosco!