Dor neuropática (DN) é aquela causada por danos ao sistema nervoso central ou periférico ou ambos. Existem inúmeras etiologias de lesão do sistema nervoso, incluindo exposição a toxinas, infecção, vírus, doença metabólica, deficiências nutricionais, isquemia, trauma (cirúrgico e não cirúrgico) e acidente vascular encefálico.

Leia mais

A terapia de contensão induzida (TCI) foi desenvolvida por Edward Taub baseado em uma pesquisa com primatas que foi iniciada no final de 1970 e abrange um conjunto de técnicas para favorecer a recuperação funcional do membro superior afetado em paciente com lesão unilateral (ex.: AVC). Esse método combina a restrição do uso do membro não afetado e o uso intensivo do membro afetado. Isso faz com que possamos “quebrar” o “não uso aprendido” promovendo reorganização cortical dependente do uso.

Leia mais

A lesão medular (LM) acontecem por danos à medula espinhal que podem ocorrer de várias maneiras, embora a causa mais comum seja devido a trauma externo. Embora não seja tão prevalente, a lesão não traumática da medula espinhal é uma possibilidade de causas como tumores, perda de sangue ou estenose. 

Lesões na medula espinhal tendem a afetar mais homens do que mulheres, e a maioria das pessoas que sofrem uma lesão na medula espinhal tem entre 16 e 30 anos de idade, devido à maior probabilidade de comportamentos de risco.

A alteração mais notável em grande parte dos indivíduos é a perda da capacidade de marcha.

Leia mais

A doença de Parkinson (DP) é uma doença neurodegenerativa neurológica caracterizada por uma diminuição dos neurônios dopaminérgicos na pars compacta da substância negra e concentrações reduzidas de dopamina nos gânglios basais. Compromete a mobilidade, a saúde mental e a interação social. Porém, é uma doença que pode ser mediada para melhor qualidade de vida e funcionalidade, diminuindo a progressão dos sintomas. E essa mediação é feita pela fisioterapia e exercício físico.

Leia mais

O Acidente Vascular Encefálico (AVE) é uma das principais causas de deficiência em todo o mundo. Dentre as deficiências mais comuns, pode se destacar a motora e essa se relaciona principalmente com comprometimentos da marcha (dificuldade de “caminhada”). O comprometimento da marcha leva a redução da participação social e da execução de atividades de vida […]

O Acidente Vascular Encefálico (AVE) é uma causa comum de incapacidade e morte ao redor do mundo. Dentre as consequências do AVE podemos citar os déficits sensoriais, motores e cognitivos (atenção, memória, concentração, percepção, etc.), assim como a redução da capacidade de auto cuidado e também da participação social. Tudo isso impacta negativamente na qualidade de vida do indivíduo.

Leia mais

A Reabilitação Neurológica Intensiva é indicada para tratamento de casos como atraso de desenvolvimento neuropsicomotor, Lesão Medular, Acidente Vascular Encefálico, Paralisia Cerebral, algumas síndromes, alterações posturais e funcionais e outras disfunções que no geral atacam as habilidades motoras, levando a perda das mesmas ou redução da realização do movimento ou atividade de vida diária com a qualidade adequada.

Leia mais

Na ProSense somos pioneiros no uso de neuromodulação no tratamento de disfunções neurológicas. A Estimulação Elétrica Transcraniana é uma das técnicas utilizadas por nossos profissionais como alternativa eficaz no tratamento de diversas doenças como: AVC, traumatismos cranianos, lesão medular, paralisia cerebral, dentre outras.

Leia mais

Você tem dificuldade em saber quais são os marcos motores de crianças com desenvolvimento normal? É importante que você consiga identificar alguns desses pontos para que entenda como está sendo o desenvolvimento da sua criança e que assim você possa cuidar dos pontos principais de atenção do seu filho. O que acha de anotar em um caderninho ou no bloco de notas do celular qual mês cada ponto a seguir aconteceu? Mas lembre-se, pequenas variações podem acontecer.

Leia mais

A síndrome de Down (SD), também conhecida como trissomia do cromossomo 21, é uma condição de origem genética autossômica. Os indivíduos que possuem a SD apresentam um cromossomo 21 a mais, ou seja, terá 47 cromossomos no total ao invés de 46. No Brasil, a ocorrência da SD é de 1 a cada 600-800 nascidos vivos.

Leia mais