Isso pode ser sinal de que há “cristais soltos” dentro do labirinto, no ouvido interno. Dá-se o nome de VPPB (Vertigem Posicional Paroxística benigna) quando movimentos de cabeça causam o deslocamento de otocônias (fragmentos de cálcio) dentro dos canais do ouvido. Assim, toda vez que o labirinto percebe qualquer movimentação da cabeça (olhar para os lados, olhar para cima etc.,) surge a sensação de tontura.

Fonte: otoneuro.med.br

Na VPPB, se observa um nistagmo (movimento involuntário e horizontal dos olhos), que podem gerar náuseas e instabilidade corporal, de forte intensidade, mas que cessam em alguns segundos. A resolução desse problema se dá por meio de manobras posturais que o Fonoaudiólogo usa para avaliar a presença dessas otocônias dentro do labirinto e em sequência já realizar outra manobra para reposicionamento delas. Na maioria das vezes a cura das vertigens já ocorre na primeira sessão.

Na VPPB não é necessário o uso de medicações antivertiginosas, já que ela inibirá apenas os sintomas de vertigem e a cura e resolução das tonturas se dão apenas com as manobras de reposicionamento.

Fonte: V Seminário Científico do UNIFACIG

 

Gostou do que leu? Temos profissionais que podem atendê-lo.

 

 

Referência:

 

Brandt T, Steddin S, Daroff RB. Therapy for benign paroxysmal positioning vertigo, revisited. Neurology 1994;44:796-80

 

Dix R, Hallpike S. The pathology, symptomatology and diagnosis of certain common disorders of vestibular system. Ann Otol Rhinol Laryngol 1952;6: 987-1016