A paralisia cerebral é principalmente um distúrbio neuromotor que afeta o desenvolvimento dos movimentos, tônus ​​muscular e postura. A fisiopatologia subjacente é uma lesão no cérebro em desenvolvimento do pré-natal ao período neonatal. Embora a lesão neuropatológica inicial não seja progressiva, crianças com Paralisia Cerebral podem desenvolver uma variedade de condições secundárias ao longo do tempo que afetarão de forma variável suas habilidades funcionais. No geral os déficits motores da PC incluem fenômenos negativos como fraqueza, fadiga, incoordenação e fenômenos positivos como espasticidade, clônus, rigidez e espasmos.

A definição de Paralisia Cerebral é: distúrbios permanentes de movimento e postura, causando limitação de atividade, que são atribuídos a distúrbios não progressivos que ocorreram no desenvolvimento do cérebro fetal ou imaturo.

 

 

Vamos ver agora especificamente as características específicas de cada tipo de Paralisia Cerebral.

 

Paralisia Cerebral Espástica

A Paralisia Cerebral espástica representa cerca de 70% -80% dos casos. Esse tipo de Paralisia Cerebral também é conhecido como Paralisia Cerebral hipertônica, uma vez que a maioria dos indivíduos apresenta tônus ​​muscular elevado e movimentos bruscos e exagerados.

A Paralisia Cerebral espástica é causada por danos ao córtex motor do cérebro, que controla o movimento voluntário. Também é causado por danos aos tratos piramidais, que ajudam a transmitir sinais aos músculos. É por isso que a Paralisia Cerebral espástica é às vezes chamada de “piramidal”.

O córtex motor é encontrado em ambos os lados do cérebro, e os tratos piramidais conectam cada lado do córtex motor. Danos no lado direito do córtex motor causam problemas de movimento no lado esquerdo do corpo e vice-versa.

Os sinais e sintomas comuns de Paralisia Cerebral espástica incluem:

  • Caminhada anormal
  • Reflexos aumentados
  • Contraturas (músculos ou articulações permanentemente tensos)
  • Rigidez em alguma parte do corpo

 

Paralisia Cerebral Discinética ou Atetóide

Cerca de 10% das crianças com a doença são diagnosticadas com  Paralisia Cerebral atetóide ou Paralisia Cerebral não espástica. Esse tipo de paralisia também é chamado de Paralisia Cerebral discinética.

Esta forma é caracterizada por uma mistura de hipotonia e hipertonia, que faz com que o tônus ​​muscular flutue. A principal característica da Paralisia Cerebral atetóide é o movimento involuntário da face, tronco e membros.

Este tipo de Paralisia Cerebral é causado por danos aos gânglios da base do cérebro e / ou cerebelo. Os gânglios da base regulam a função motora voluntária e o movimento dos olhos. O cerebelo controla o equilíbrio e a coordenação.

A Paralisia Cerebral atetoide é considerada extrapiramidal. Os tratos extrapiramidais no cérebro regulam os reflexos involuntários e os movimentos sinalizados pelos gânglios da base e cerebelo.

Os sintomas comuns associados à Paralisia Cerebral atetóide incluem:

  • Flexibilidade aumentada nos membros
  • Problemas de alimentação
  • Problemas de postura
  • Corpo rígido

 

Paralisia Cerebral Atáxica

A ataxia é um tipo de Paralisia Cerebral que causa problemas de equilíbrio e coordenação. A Paralisia Cerebral atáxica representa uma pequena porcentagem dos casos. Aqueles com Paralisia Cerebral atáxica geralmente têm problemas em torno do movimento voluntário.

A Paralisia Cerebral atáxica difere de outros tipos de Paralisia Cerebral porque é causada por danos ao cerebelo. O cerebelo é a parte do cérebro que controla o equilíbrio e a coordenação. Pessoas com Paralisia Cerebral atáxica frequentemente apresentam tremores e uma redução no tônus ​​muscular.

Os sintomas comuns de Paralisia Cerebral atáxica incluem:

  • Dificuldade na fala
  • Problemas com percepção de profundidade
  • Tremores
  • Afastamento dos pés ao caminhar (aumento da base de suporte)

 

Paralisia Cerebral Hipotônica

A Paralisia Cerebral hipotônica, também conhecida como Paralisia Cerebral atônica, é uma forma rara de Paralisia Cerebral classificada pelo baixo tônus ​​muscular que causa perda de força e firmeza, resultando em músculos frouxos.

A instabilidade e a flexibilidade dos músculos causadas pela Paralisia Cerebral hipotônica podem fazer com que seu filho perca etapas de desenvolvimento, como engatinhar, ficar em pé ou andar.

Os sintomas comuns de Paralisia Cerebral hipotônica incluem:

  • Articulações e ligamentos flexíveis
  • Falta de controle da cabeça
  • Baixo equilíbrio e estabilidade
  • Músculos mais flácidos

 

Paralisia Cerebral Mista

Às vezes, os danos ao cérebro em desenvolvimento não se limitam a um local. É possível que uma criança desenvolva diferentes tipos de Paralisia Cerebral causados ​​por várias áreas de lesão cerebral.

Quando uma criança apresenta sintomas de vários tipos de Paralisia Cerebral, é considerada  Paralisia Cerebral mista . Este diagnóstico representa menos de 10% de todos os casos de Paralisia Cerebral.

O diagnóstico de Paralisia Cerebral mista mais comum é uma combinação de Paralisia Cerebral espástica e atetóide.

 

Se você conhece alguém que tenha Paralisia Cerebral ou suspeita, nos procure. Na ProSense podemos te ajudar!

 

 

 

 

 

REFERÊNCIAS:

Patel DR, Neelakantan M, Pandher K, Merrick J. Cerebral palsy in children: a clinical overview. Transl Pediatr. 2020;9(Suppl 1):S125-S135. doi:10.21037/tp.2020.01.01

Jan MM. Cerebral palsy: comprehensive review and update. Ann Saudi Med. 2006;26(2):123-132. doi:10.5144/0256-4947.2006.123

Bangash AS, Hanafi MZ, Idrees R, Zehra N. Risk factors and types of cerebral palsy. J Pak Med Assoc. 2014 Jan;64(1):103-7. PMID: 24605730.